O médico é visto, muitas vezes, como aquela pessoa que pode resolver todos os problemas de saúde. Algumas pessoas colocam todas as esperanças nas mãos deste profissional, e acabam esquecendo que para os bons resultados no tratamento a participação do paciente também é fundamental.

A relação entre o médico e o paciente, em especial aqueles que fazem tratamento para doenças crônicas, deve ser baseada em confiança mútua. É importante seguir os passos indicados pelos especialistas, mas também é essencial que haja comunicação entre ambos, para que todas as dúvidas do paciente e seus familiares sejam esclarecidas.

A segunda opinião médica também é um direito do paciente. Então, se não está seguro com o diagnóstico e/ou abordagem terapêutica, não hesite em procurar um outro profissional qualificado.